quarta-feira, 2 de maio de 2012

Você pode ser um House Hunter e nem sabia


O mundo vai se modernizando e criando novas formas de se comunicar.
Uma das funções do Corretor de Imóveis é "buscar" o que o seu cliente precisa. Isso já feito há tempos.
Mas o mercado, ou pessoas ligadas adotaram um novo termo para os captadores.
Como o novo termo tem um "glamour" esses profissionais atendem um nicho específico de clientes que pelo poder aquisitivo ou necessidade querem um profissional altamente capacitado.

Segue a matéria...


SÃO PAULO - No mercado de trabalho, quando uma empresa precisa de um profissional altamente especializado e com experiência e competências específicas para um determinado setor, elas apelam para os head-hunters, que vão vasculhar o mundo corporativo atrás dele. Nessa mesma linha, o mercado imobiliário, para satisfazer os interessados em imóveis, criou os house-hunters.
Diferentemente do corretor de imóveis, os house-hunters trabalham de forma extremamente focada. Eles saem às ruas exclusivamente atrás de imóveis que ainda não estão para alugar ou vender, mas que seriam perfeitos para atender a seus clientes. De acordo com a diretora da Lello Imóveis, Roseli Hernandes, muitos negócios não eram fechados simplesmente porque não havia imóveis do jeito que as pessoas estavam procurando.
Na prática, o objetivo do house-hunter é encontrar o maior número de imóveis, para atender ao maior número de clientes. E, aparentemente, esse trabalho está dando resultado. Só no mês de março deste ano, 1.300 imóveis foram captados desta forma. Isso quer dizer que a vida de quem está procurando o imóvel perfeito para alugar ou comprar está ficando mais fácil.
Mas, por outro lado, os proprietários também acabam beneficiados. De acordo com Roseli, como os house-hunter vão até as casas e os apartamentos, o dono do imóvel não tem o trabalho de procurar a corretora. Além disso, esses profissionais estão prontos para esclarecer todo tipo de dúvidas.
Os cuidados “Às vezes, a pessoa têm a intenção de vender ou alugar, mas está sem tempo. Como os house-hunters estão atuando pelos bairros, eles já agilizam e facilitam esse trabalho”, diz Roseli. Porém, é importante tomar alguns cuidados. Quando abordado por um house-hunter, o proprietário deve observar se o profissional realmente é quem diz ser.
De acordo com Roseli, eles andam com o crachá da empresa, possuem registro no Creci -SP (Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo) - que pode ser facilmente checado no site do conselho - e têm uma postura de profissional do mercado imobiliário. “Você consegue perceber quando o cara é profissional e quando é picareta, pela própria linguagem e domínio do assunto”, diz Roseli.
No entanto, quanto mais cuidado, melhor. Segundo Roseli, os house-hunters não têm pretensão de visitar o imóvel em um primeiro momento. O processo vai se desenrolando aos poucos. Ele faz um primeiro contato, convida o proprietário a passar na corretora em algum momento, e aí sim, entra no imóvel para fazer a avaliação e tirar possíveis fotos.
Além disso, os house-hunters são profissionais que trabalham especificamente em determinados bairros. Inclusive eles normalmente moram na região onde trabalham. Isso quer dizer que são profissionais conhecidos no bairro, que já visitaram o mesmo prédio diversas vezes, conhecem o guarda da rua e o porteiro dos edifícios.
Portanto, se alguém se identificar como house-hunter, mas não é conhecido no bairro, já é um bom motivo para desconfiar.

Portanto você pode ser esse profissional e não usar essa assinatura.
Fato é que todos nós temos que estar sempre sintonizado para não perder oportunidades.

Abraços e sucesso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário